top of page

6500K + ZYI

Não sair até o rojão estourar, Ilha da Pólvora, Vitória, ES

2021

A instalação sonora e visual 6500K + ZYI foi criada para a ocupação artística Não sair até o rojão estourar que aconteceu em 2021 no Hospital de Isolamento da Ilha da Pólvora.
Desativada nos anos 90 pelo governador Albuíno de Azeredo, o hospital foi fundado em 1925 na Ilha da Pólvora (também conhecida como Ilha do Medo) com intuito de isolar indivíduos que apresentavam doenças como hanseníase, lepra e tuberculose. Após a desativação não se sabe ao certo sobre os destinos dos pacientes, se foram para outras unidades de tratamento ou se morreram no local.

A instalação ocupou dois ambientes, o primeiro um antigo frigorífico escuro, composto por fragmentos quebrados de teto e parede e o segundo uma sala com sua estrutura quase intacta dominada por raízes, plantas, marcas de oxidação e outros rastros do tempo.

No frigorífico foram distribuídos rádios sintonizados em freqüências AM, lanternas de LED piscantes e os fragmentos reorganizados de forma a criar sombras projetadas nas paredes em formato de relevo. Com a ativação dos dispositivos, as frequências AM sofrem interferência eletromagnética criando uma atmosfera ruidosa e que varia no tempo.

Na segunda sala instalou-se três lanternas estrategicamente posicionadas com intuito de iluminar os detalhes que revelam as intervenções naturais resultado do abandono do local e da invasão da vegetação e umidade.

---

The sound and visual installation 6500K + ZYI was created for the artistic occupation Do not leave until the firecracker explodes which took place in 2021 at the Ilha da Pólvora Isolation Hospital.
Deactivated in the 90s by governor Albuíno de Azeredo, the hospital was founded in 1925 on Ilha da Pólvora (also known as Ilha do Medo) with the aim of isolating individuals suffering from diseases such as leprosy, leprosy and tuberculosis. After deactivation, it is not known for sure the fate of the patients, whether they went to other treatment units or whether they died on site.

The installation occupied two spaces, the first an old dark refrigerator, made up of broken fragments of ceiling and wall and the second a room with its almost intact structure dominated by roots, plants, oxidation marks and other traces of time.

In the refrigerator, radios tuned to AM frequencies, flashing LED flashlights were distributed and the fragments were rearranged to create shadows projected on the walls in a relief format. When the devices are activated, AM frequencies suffer electromagnetic interference, creating a noisy and time-varying atmosphere.

In the second room, three strategically positioned lanterns were installed in order to illuminate the details that reveal the natural interventions resulting from the abandonment of the site and the invasion of vegetation and humidity.

bottom of page